domingo, 25 de maio de 2008

Literatura - A linguagem do Romantismo - 2º ano

Depois de Gonçalves Dias, vários outros escritores também registraram a sensação de estar longe da pátria. Assim, parodiando a canção de Gonçalves Dias ou mantendo com ela relações de intertextualidade, escreveram canções do exílio, entre outros, os poetas Casimiro de Abreu, Oswald de Andrade, Murilo Mendes, Carlos Drummond de Andrade, Vinícius de Moraes, José Paulo Paes. Na música popular brasileira, há sobre esse tema composições de Morais Moreira e Chico Buarque de Holanda, em parceria com Tom Jobim.
Agora é sua vez. Escreva você também uma canção do exílio, expressando sua visão a respeito do Brasil de hoje. Assim como fez Gonçalves Dias, que destacou a natureza brasileira, ressalte um aspecto de nosso país - social, político, natural, cultural -que represente a condição do Brasil hoje.

Canção do exílio

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar –sozinho, à noite–
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que disfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu'inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.


De Primeiros cantos (1847)

Gonçalves Dias

2 comentários:

Anônimo disse...

Profª, a senhora não abriu a opção de comentários no "Desafio 2".

Segue a resposta do Desafio:

Só até a metade do túnel. Depois ele estará saindo.


Aluna: Alessandra Santos Silva
2º ano Noturno turma N5

vera disse...

até a saida dele no final do tunel
aluna Vera Lucia Ferreira de Oliveira
turma 3*N5